Auditoria Contábil

O escopo básico dos trabalhos para o exercício da auditoria compreende:

Acompanhamento dos procedimentos contábeis realizados durante o exercício.

Conferência dos registros contábeis fiscais, incluindo os registros auxiliares.

Conferência dos clientes e fornecedores, credores, e devedores de natureza diversa. ï Conferência dos bens patrimoniais e de seus controles e registros.

Exame das receitas e despesas; com análise das principais variações, bem como o confronto com os valores orçados.

Emissão do parecer de auditoria, assessoramento na elaboração das demonstrações contábeis e das notas explicativas, assim como sobre o tratamento contábil a ser atribuído a qualquer evento que venha a ter reflexos diretos sobre as demonstrações contábeis referente ao exercício findo.

Apresentação dos resultados das análises e exames de auditoria das demonstrações contábeis do exercício, com a emissão do relatório de auditoria na forma curta (parecer dos auditores independentes) sobre as demonstrações contábeis auditadas, bem como relatório de auditoria, na forma longa, com indicação de procedimentos corretivos, se pertinente.

Os trabalhos de auditoria independente serão conduzidos de conformidade com a Resolução CFC – Conselho Federal de Contabilidade nº 820/97, de 17.12.1997 (Normas de Auditoria Independentes das Demonstrações Contábeis), Resolução CFC nº 821/97 de 17.12.1997 (Normas Profissionais de Auditor Independente), normas instituídas pelo Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), Normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e legislação específica do Contratante, caso haja.

Os procedimentos de auditoria a serem aplicados consistem em um conjunto de  técnicas que permitem ao auditor obter evidências ou provas suficientes e adequadas para fundamentar sua opinião sobre os demonstrativos contábeis, e abrangem testes de observância e testes substantivos.

A aplicação dos procedimentos de auditoria ser· realizada, em razão da complexidade e volume das operações, por meio de provas seletivas, testes e amostragens, com base na análise e riscos da auditoria e outros elementos, de forma a determinar a amplitude dos exames necessários para a emissão de um relatório sobre os demonstrativos contábeis. Os testes de observâncias e substantivos levam em consideração as seguintes técnicas básicas:

(a) inspeção ñ exame de registros, documentos e de ativos tangíveis;

(b) observação ñ acompanhamento de procedimento quando de sua execução;

(c) investigação e confirmação ñ obtenção de informação perante as pessoas ou entidades conhecedoras da transação dentro ou fora da Entidade;

(d) cálculo ñ conferência da exatidão aritmética de documentos comprobatórios, registros e demonstrações contábeis e outras circunstâncias; e

(e) revisão analítica ñ verificação do comportamento de valores significativos, mediante Índices, quocientes, quantidades absolutas ou outros meios, com vista

identificação de situação ou tendências atípicas. A auditoria contábil ser· realizada, inclusive, nos registros gerados pelo processamento eletrônico de dados (se necessário) e em outros que mantidos pela ENTIDADE devam sofrer exames para os fins propostos.

Fonte: Manual do CFC